segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

adeus 2008

minha tela
1 ensaio sobre a cegueira
2 o milagre de santa luzia
3 nome próprio
4 se nada mais der certo
5 vick cristina barcelona e romance

minha vitrola
1 choro bandido, edu lobo na versão thaís gulin
2 casa pré fabricada, marcelo camelo na versão los hermanos
3 o último pôr do sol, lenine na versão lenine
4 canção da falsa tartaruga, adriana partimpim
5 ciranda da bailarina, chico buarque na versão mônica salmaso

minha tevê
1 pantanal
2 capitu
3 som brasil especial edu lobo
4 um menino maluquinho
5 programa de cinema

minhas delícias
1 melissinha
2 cabelo laranja
3 tv escola
4 iphan bh e a casa do conde
5 análise

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

cá com os meus botões

ano novo, vida nova.
é o que a gente tenta todos os anos.
eu particularmente tento muito seriamente virar algumas páginas, porém esse final de ano me reservou uma pequena surpresa... me peguei pensando, sentindo e querendo viver novamente histórias passadas.
seriam talvez mal passadas?
democracia pode ser definida de mil maneiras.
democracia é cada um poder ter sua opinião e nem por isso trocarem ofensas.
democracia é poder se sentir triste e resolver virar a página.
eu tô virando definitivamente.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

o outro lado da moeda

tô sumida.
acho que é o ano novo que está chegando, a vida passando e eu correndo atrás dela.
mas no meio de tanta coisa um sentimento de vergonha me acometeu.
na verdade eu nem sei dizer se é vergonha, se é tristeza... sei que é doído.
mais uma vez a cidade que escolhi pra chamar de minha virou noticiário.
não vou comentar.
prefiro ficar aqui, sozinha, distante dos meus amigos, com minhas lembranças.
vou tentar apagar o que assisti a pouco lembrando da comoção a qual participei aquela tarde no Ginásio de Esportes... os telões, a música do Angelino de Oliveira, a serra, as cachoeiras...
prefiro pensar no quanto essa cidade acolhedora e pacata é humana.
e resto que se resolva...
é muito angustiante pra mim pensar no que está acontecendo por lá, e saber que pessoas que eu amo estão em lados opostos da ponte.
toda moeda tem dois lados e eu acabo sofrendo por isso.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

fazer naninha

hoje eu tô cansada, com sono e sem assunto, apesar de vários...
é o ano novo que está chegando, fica me acenando e acaba por me desconcentrar.
o que espera por mim?
ou melhor...
o que eu espero de mim e do mundo?
2009 vai ter um sabor diferente. de 2008 renovado e melhorado.
eu diria amadurecido.
é isso.
boa noite.

domingo, 14 de dezembro de 2008

cabeçon querido

amigo
a.mi.go
adj (lat amicu) 1 Que tem gosto por alguma coisa; apreciador. 2 Aliado, concorde. 3 Caro, complacente, dileto, favorável. 4 Dedicado, afeiçoado. sm 1 Indivíduo unido a outro por amizade; pessoa que quer bem a outra. 2 Colega, companheiro. 3 Amador. 4 Amante, amásio. 5 Defensor, protetor. 6 Partidário, simpatizante. 7 Aliado.

na definição do dicionário não tem: cabeçon, mala sem alça, pessoa que tem a risada mais ridícula da face da terra e que dança a dança do morto muito louco e acha que fica bonito.
mas isso é sinônimo de amigo tbm.
ele vem me visitar essa semana. tomara que ele traga um penico. vai ter que ouvir todas as minhas abobrinhas e caraminholas do ano...
é pra isso que servem os amigos tbm não é?

sábado, 13 de dezembro de 2008

... olhos de cigana oblíqua e dissimulada. eu não sabia o que era obliqua, mas dissimulada eu sabia...

hoje termina.




..."não lhe bastava ser casada entre quatro paredes, precisava do resto do mundo também"...

hahahahahahaha.

as vezes ela aparece com seus olhos arregalados e suas mãos frias.
- oi, vim te fazer uma visita.
e ela senta refastelada no sofá, cruza as pernas e diz que não vai tão cedo.
sorri aquele riso de vencedora.
sorri com aquela boca enorme.
e sua presença invade. e o pior é que ela nunca aparece sozinha.
ela escolhe o dia exato para aparecer.
normalmente é durante um final de semana chuvoso onde vc perdeu a oportunidade de uma viagem bacana, no dia em que a funilaria e pintura coloca calipso, bruno e marrone e um e mc qualquer no último volume, das nove da manhã até as sete da noite.
ela chega sem avisar no dia em que seu corpo dói.
a solidão te pega de jeito. te aperta com força e cheira o seu cangote. te faz um cafuné e fala baixo no seu ouvido: sozinha. sempre sozinha.
e ri com satisfação.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

diretor de arte

artista plástico.
procurando sobre a direção de arte de capitu me lembrei de uma história...
eram duas amigas. a número 1 e a número 2.
a número 1 sempre apresentava pessoas para a número dois.
e sempre se referia com um ar todo garboso: essa é fulana, artista plástica. esse é beltrano, diretor de fotografia. essa é cicrana, jornalista.
e todas as profissões vinham com um tom mais carregado de importância, de deslumbre.
isso irritava um pouco a número 2.
seria que um dia ainda presenciaria a cena: essa é fulana, lixeira. esse é beltrano, contador. essa é cicrana atendente de telemarketing?
o que são as pessoas além delas mesmas? o que sua profissão melhora ou piora em vc?
isso tudo porque raimundo rodrigues é artista plástico.
e me deixou boquiaberta com o trabalho de direção de arte em "capitu".
e fui descobrindo coisas sobre ele (viva o google!).
e descobri que tbm teve dedo dele no "hoje é dia de maria".
e que deu oficinas de reciclagem de lixo em um evento da ação cidadania.
e que coordenou um outro projeto chamado "grupo murais urbanos".
e no site oficial da minissérie eu encontrei:

Raimundo Rodriguez, que assina a direção de arte e cenografia em Capitu, explicou o conceito visual da minissérie: “Reciclamos muito. Não por uma questão apenas financeira, mas principalmente pelo conceito da obra. Usamos muito papelão, jornais velhos, estruturas de ferro…”.

com esse perfil aí, se a amiga número 1 fosse apresentá-lo à alguém, acho que levaria um sopapo.
e com vocês, raimundo rodrigues:

inúmeros dons

é muito bom assistir Capitu.
é maravilhoso pensar que mesmo sendo "aquela emissora" ainda temos a oportunidade de receber tamanho presente! me faz pensar que nem tudo está perdido.
se bem que é quase uma receita de sucesso, é como morango com leite condensado, ou brigadeiro, só tem ingrediente bom, não tem como ficar ruim:
machado de assis dispensa comentários. mesmo.
luiz fernando carvalho dirigiu lavoura arcaica.
michel melamed é um excelente poeta, escritor, ator, apresentador do melhor programa cultural dos últimos tempos, além de ser um gostoso (ui... perdoem-me, não resisti).
eliane giardini é uma diva. consegue ser boa até em novelas...
aos atores de bentinho e capitu jovens estão teatrais na medida certa, curti.
a maria fernanda cândido é a minha única interrogação, vamos ver o que acontece.
mas depois do que assisti ontem, duvido que fique ruim.
preciso saber quem fez a direção de arte.... a trilha sonora deve ser tim rescala, enfim. MARAVILHOSO.
tô aqui, esperando. daqui a pouco começa. eba.
enquanto assisto vou pensando o quanto sou bentinho. ou casmurro.
ou será capitu?

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

uma mão lava a outra

ela só queria comprar um sabonete líquido.
um sabonete líquido para colocar no seu novo potinho de armazenar sabonetes líquidos.
era lindo o conjunto! e combinava deveras com seu banheiro.
quando chegou a gôndola de sabonetes percebeu o quanto não seria simples...
tem sabonete líquido pra tudo que é parte do corpo, com tudo que é função, com tudo que é cheiro... revitalize-se, energia do sol, extrato de camomila para relaxar, pele negra, pele branca, com acne, sem acne, sabonete do homem, sabonete da mulher, agora tem até aquele das partes íntimas femininas... "quando está pensando nela assim, é pq está pensando em mim..."
fala sério.
o pior é que me vejo num momento assim... repleto de possibilidades.
escolher um lado significa perder o outro.
só quero ser feliz e não errar nas escolhas, simples como comprar um sabonete... ops... já era.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

me diz...

o sistema. a culpa é do sistema.
tudo muito simples agora, é só culpar o sistema.
seja o sistema tecnológico quanto o capitalista, leninista, consumista, globalizado, ecológico e ecumênico.
e político. ah! o político...
tem horas que eu quero sair correndo, jogar tudo para o alto e avante e nem pensar no que vai ficar para trás... mas eu não posso. cresci.
existe alguma forma de revolucionar sem grandes estragos?
vc sabe como?
me conta?

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

se entupindo de ed motta

tem aquela:
"...Como uma sala art-decô o nosso amor brilhou
Em vão... "

e aquela outra:
"Poder voltar, num tempo sem preocupação
Som do vinil, o seu chiado é bom
Ficar feliz e relembrando histórias
Eu quero mais, só não sei se aguento"

cantando e dançando:
"Senti
Você no ar
Pareceu findar meus ais...
...Para não dançar
Fique à vontade
Se deixe levar!"

ressuscita-me

esse começo de noite de sexta-feira fui tomada por uma nostalgia.
saudade de um período nem tão distante assim, mas pra ser considerado nostálgico precisa de uma distância determinada? acho que não.
resolvi meio assim sem querer fuçar em uma pilha de CDs que há tempos não ouvia.
que puxa, como diria charlie brown... ressucitei o MANUAL PRÁTICO para bailes festas e afins vol. 1
o que mais posso dizer minha gente?
me peguei sacudindo as cadeiras sozinha e freneticamente ao som do delicioso ed...
fui imediatamente transportada. nem queriam saber pra onde.
ou melhor, queiram.

curtam! e saiam dançando.


deixe o tempo que
ficou para trás
viva a vida como
quer viver
seja livre como
Deus quiser
siga os sonhos
de amor em paz

devorando

essas últimas semanas que antecedem as festas são quase sempre a mesma coisa...
a gente tem coisas para fazer que não são exatamente lá grandes coisas, mas também não pode jogar tudo para o alto e avante e sumir do mapa.
e eu na verdade nem queria isso mesmo, está interessante esse processo de planejamento profissional e pessoal para o ano que está chegando.
(todo ano pensamos a mesma coisa! será isso real?).
aqui na produtora por exemplo estou atenta aos milhares de editais publicados diariamente em dezenas de diários oficiais espalhados pelo nosso brasilzão, e fico com a batata quente de apreciar o que interessa e o que não interessa.
o que interessa?
nossa... interessa que são quase seis da tarde.
interessa que o final de semana taí, de olhos arregalados me olhando e perguntando qual vai ser dessa vez.
ele pode me engolir.
eu só peço que mastigue com carinho.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

naninha

hoje o dia rolou vagarosamente.
reunião pra discutir nada e chegar a lugar algum... e durou o dia todo.
e pra dar uma sacudida nos ânimos me rendi aos desejos materiais e cometi duas extravagâncias... ui.
assumo. consumo.
e no final do dia fui à manicure.
mãos e pés coloridos pra refrescar as idéias e o final de semana que está chegando.
amo!
boa noite.

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

penelope cruz

e minha segunda feira terminou muito bem.
eu não tenho muito o que dizer...
woody allen é ducaralho sempre.
o filme é maravilhoso.
barcelona é linda.
mas quando eu crescer eu preciso ser PENELOPE CRUZ.



uma amiga escreveu em seu blog algo como: que mulher nunca foi cristina, ou nunca teve uma fase vicky.
eu luto diariamente contra a maria elena que existe dentro de mim... hahaha.

rapidinha

e o michel melamed devassa minha vida novamente...
capitu.
ai. presa em casa todas as noites novamente.

e viva o curta



de daniel ribeiro.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

ambos presos!

pra mim sempre foram duas coisas distintas:
prisão de ventre e intestino preso.
prisão de ventre é quando vc está morrendo de vontade de soltar aquele pum gostoso, sem medo de ser feliz, sem pensar se ele vai ser barulhento, silencioso, alto, baixo, fedido ou... bem, não existe pum cheiroso, mas existe pum sem cheiro. os meus por exemplo são todos assim, sem exceção, enfim, prisão de ventre é quando vc segura seus gases por educação, por vergonha, ou pq seu próprio corpo segura, sabe-se lá qual a razão e daí a causa de dores terríveis... isso é prisão de ventre.
intestino preso é uma outra história, mais problemática eu diria, é quando vc passa alguns dias sem conseguir ir ao banheiro fazer cocô. vc fica literalmente enfezada. não há cristo, mamão ou granola que resolva. pra mim só mesmo yakult. e viva os japoneses.
esse assunto todo porque neste final de semana uma amiga ACABOU com as minhas convicções sem dó nem piedade... vamos aos fatos.
estávamos no carro, voltando do aeroporto quando ela me diz baixinho no ouvido: Tô com prisão de ventre, tá foda!
e eu me senti uma espécie de chapolim colorado versão feminina, eu tinha a solução para este problema dentro da minha singela bolsa! eu não saio de casa sem luftal minha gente! e respondi ao apelo com um sorriso satisfatório:
-sossega, eu tenho remédio na minha bolsa, chegando lá vc toma, e seja o que deus quiser.
e seguimos viagem. minha amiga mais tranquila, eu nem tanto.
assim que chegamos ao nosso destino, sem demora, tirei o frasquinho milagroso da minha bolsa, e entreguei triunfante à minha amiga prestes a explodir, quando veio a bomba (ou quase):
- isa, eu preciso é de um 46!
- caralho, mas prisão de ventre não é a mesma coisa que intestino preso pô!
e foi assim que minha amiga esperou mais um dia.
acho que hoje, finalmente, ela já deve ter resolvido o problema dela, mas eu fiquei ligeiramente triste por saber que prisão de ventre engloba os dois sintomas: pum e cocô preso.
é gente, eu fuçei na internet sim. e descobri que a minha amiga estava certa.
e por hoje é isso.

domingo, 30 de novembro de 2008

quase uma adolescente...

não era possível que mais uma vez iria dar uma importância maior que o normal para as coisas.
não.
definitivamente ela não iria escrever sobre isso.
respirou.
respirou mais uma vez e lembrou o que movia tudo aquilo.
um sentimento adormecido e tranformado, mas nem por isso menos digno ou sem importância.
respirou de novo.
e se sentiu ridícula.
e jogou tudo pra debaixo do tapete.
um dia desses pensaria nisso.
agora era dormir, ou pelo menos tentar.
e se sentiu ridícula de novo.
mas alguém já havia dito que todas as cartas de amor são ridículas... mas aquilo não era amor, e nem havia escrito nada a respeito...
e foi rir um pouco sobre o ridículo.

explosão internacional

ela costumava repetir o nome da cidade numa média de três vezes por história que contava.
os amigos, os vizinhos, os vizinhos amigos e os nem tanto... o porteiro, o zelador, o síndico, os patrões e o cobrador de ônibus. todos sabiam que ela viera de botucatu.
ninguém acreditava, pensavam que a cidade era mais uma dentre as milhares que existem no interior de SP, mas não... depois de tantas referências não era possível ser apenas mais uma cidade, era com certeza A cidade.
quando assistiam a corrida e comentavam a performance do massa ela dizia, nasceu em botucatu.
no ônibus? era só ler: caio. fabricado em botucatu!
chovia demais? ela contava a história da chuvarada que levou seu telhado na primeira casa que alugou onde? em botucatu.
uma vez receberam a visita de um prefeito do PT que acabara de se eleger numa pequena cidade do rio grande do sul, e ele era amigo de quem? do prefeito de botucatu.
aviões? embraer-neiva. que fica onde? já sabem...
era assim. o nome da cidade já estava nas rodinhas. todo mundo já sabia o tanto de cachoeiras, de sacis e de artistas que a cidade escondia.
até que ela mesmo teve a grata surpresa...
estavam voltando do aeroporto, traziam uma amiga que acabara de chegar de uma temporada de um mês na espanha, e como num rompante, a recém chegada grita:
- nossa! eu estava no metrô em barcelona prestando atenção nas notícias mundiais que passavam num telão, quando de repente vi: bandidos explodem cadeia em BOTUCATU.
não restava mais dúvida, de um jeito ou de outro, botucatu era internacional.
e ela não teve dúvidas:
- vocês ouviram isso? botucatu, no metrô em barcelona!

sábado, 29 de novembro de 2008

lolita?

elas bebiam vinho tinto e matavam a saudade quando a cabelo-desbotado trouxe o assunto à mesa.
- essa semana saiu em tudo que é site a "notícia" do namoro entre marcelo camelo e malu magalhães, sei que vc é fã do cara, e aí?
a morena riu.
a loira perguntou quem era marcelo camelo mesmo...
enfim, divagaram sobre relações com homens mais maduros, como no caso do ex-los hermanos, e vice-versa.
sem cair na conversa de pedofilia, tentavam, cada uma a sua maneira, imaginar relações entre homens de sessenta e garotas de dezessete, lembraram "lolita", de vladimir nabokov, citaram o excelente longa de kubrick, e a conversa foi tomando corpo, até que...
- só freud viu... a diferença não existe em um período da relação, mas depois ela grita, te joga na cara aqueles 20 anos de buraco... um no auge de realizações e construções, o outro querendo quietar-se... isso deve ser algum distúrbio... pensa alto a cabelo-desbotado.
- bom, eu tinha dezessete anos quando casei com fulano, na época ele tinha 47, e nós...

pois é... não dava para voltar atrás, não existe dis-dizer alguma coisa, e foi assim, entre risadas, foras, vinho tinto e muita história pra contar que elas comemoraram o reencontro.
e cada um no seu quadrado, sempre.

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

pra não dizer que não falei das flores



quem tem solidariedade hoje em dia sem cobrar nada?

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

cegueira

eu bem queria fazer qualquer outro comentário, mas não rola.
não rola nem ser educadinha...
minha conclusão do festival de brasília esse ano?
gosto é que nem c... mesmo. graças a deus cada um tem o seu.
eu só posso crer nisso.
e tenho dito.
.
.
.
bastidor bem café-com-leite: um passarinho verde me contou que foi o maior quebra pau na reunião de júri. deve ter sido bacana.
enfim, eu sei qual o meu lugar de reles expectadora, nem estudante de cinema ou qualquer coisa parecida eu sou, eu apenas amo, e amor é passional mesmo, então sem o menor embasamento crítico eu digo: vão se foderem! cleópatra o ano passado e esse outro aí esse ano? parem o mundo que eu quero descer... e os melhores filmes receberam o prêmio vaga-lume...
sabem o prêmio vaga lume? aquele onde a comissão é cega. são todos deficientes visuais...
é... cegos.
será?

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

soninho

hoje ela só queria dormir.
a terapia foi paulada.
a reunião confusa.
o espetinho delicioso.
a conversa frutífera.
mas o soninho seria dos deuses.
e foi deitar.

domingo, 23 de novembro de 2008

onde?

ela estava sem sono. talvez cansada, mas não com sono.
já havia desligado o computador e queria apenas tentar dormir.
amanhã era o início de mais uma semana, queria estar inteira, pronta.
mas não conseguiu... precisava de alguma forma pensar, refletir, agradecer pelos últimos acontecimentos.
sentia-se estranhamente bem, embora fragilizada.
sentiu dores fortes pela manhã, chorou, amedrontou-se, sentiu mais medo que o normal, se entregou aquilo tudo, farta, exausta de ficar resistindo. e pensou: de novo. quantas vezes ainda terei que me submeter a exames, a incertezas quanto ao meu próprio corpo? quanto tempo ainda vou ficar achando que a máquina que existe dentro de mim está entrando em pane? a pane existe realmente ou só dentro da minha cabeça?
e de tanto pensar chorou novamente. foi quando o telefone tocou.
um convite para um almoço numa quase tarde estranha no cerrado. clima cinza.
e foi. sair de casa , mesmo que por pouco tempo, significaria respirar.
respirou um monte, conversou mais um tanto e voltou pra casa quieta. uma quietude intensa, reconfortante, e cochilou o cochilo dos deuses.
depois foi ao mercado, riu um bocado, passeou entre as gôndolas, comeu pão com salame e muito chocolate na companhia de um vizinho e amigo querido.
e agora era a hora do sono. do reconforto final.
e pensou o quanto era abençoada.
o quanto gostava da sua vida, das suas conquistas, dos seus amigos, dos desconhecidos, das perspectivas, do futuro, do passado, do presente, das ruas que havia passado... do conforto que podia dar a si mesma. e mais uma vez ficou sem entender como era capaz se sentir daquela forma, aquela ambiguidade ambulante... agradecida ao universo e insatisfeita com a vida. como poderia ser diferente? como transcender aquilo tudo? precisava deixar de ser ingrata...
e foi assistir um DVD que era mais fácil.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

nada de pouco

essa semana aconteceram coisas que eu não sei ao certo.
só sei que aconteceram, que tem algo de podre no reino da dinamarca... enfim.
e depois dessa nebulosidade toda, outros dois fatos me fizeram tomar uma decisão:

1 - o post do blog "do meu mundo":
Já não beijo mais sapos. Por favor, não insista.

2 - um poema de um amigo distante:
meu barato agora é outro
meu amor ficou mais caro
não me contento com tão pouco
só me entrego em caso raro!
alessio di pascucci

é isso por hoje.
ah! e vale para amizades também...

sem palavras

cronograma
iphan
cliente
portifólio
tá chovendo
dor nas costas
soninhosozinha
amiga no MSN
fome de doce
licitações
música alta
o tempo não passa
sexta feiraaaaaaaaaaaaaaaaaaa.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

segunda noite

a segunda noite teve um sabor diferente.
esperando a mesma movimentação do ano passado, chegamos cedo à praça de alimentação do cine brasília, e o que nos esperava era outro público, outra energia.
talvez o público seja o mesmo de sempre, mas a energia era outra, diferente... ninguém a procura de "grandes celebridades", apenas pessoas querendo conversar, se encontrar, rever amigos, fazer contatos.
acredito que a diferença se deva a todo o burburinho que se formou na "rádio peão" sobre um festival repleto de documentários. eu confesso que estranhei quando saiu a lista dos selecionados, mas pensei que poderia ser interessante, no mínimo o público seria diferente.
e se alguém sentado na platéia ontem tinha alguma dúvida se daria "certo ou errado", pode dormir tranquilo, o público respondeu muito positivamente e imediatamente.
o longa "o milagre de santa luzia" foi aplaudido já nos primeiros minutos.
eu me emocionei um monte. do início ao fim.
a fala do diretor me pegou. eu não ia ficar pra assistir o filme, estava cansada, queria apenas os curtas, coisa rápida, e voltar pra casa... ledo engano.
"eu prefiro ser vaiado do que perceber uma platéia em silêncio".
e pra melhorar discursou sobre a auto-estima do brasileiro, o momento em que passamos e que temos um olhar mais apurado sobre nossa história, enfim, o público curte documentário sim.
o resto foi só alegria.
dominguinhos caminhando pela estrada e sanfonando com a alma.
pois é. nem preciso contar o resto.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

esta noite

divulgando e dançando, divulgando e dançando!
(a la silvio!)
20h30 e 23h30, Cine Brasília
Mostra Competitiva 35mm
A Mulher Biônica, de Armando Praça, 19min, CE
Que Cavação É Essa?, de Estevão Garcia e Luís Rocha Melo, 19min, RJ
O Milagre de Santa Luzia, de Sergio Roizenblit, 104min, SP

longa paulistanooooooooooo!
Cine Brasília
EQS 106/107
61 - 3244 1660
people, o cine brasília é na ASA SUL, por favor hein...

porque ir?
seis mangos o ingresso
longa paulistano
praça de alimentação com petisquinhos gostosos
confraternização geral!
e viva o cinema nacional, sempre!

dominguinhos e renato borguetti

O Milagre de Santa Luzia
Direção: Sergio Roizenblit
Documentário, cor, 35mm, 104min, SP, 2008
O Milagre de Sta Luzia é uma viagem pelo Brasil que toca sanfona, conduzida por Dominguinhos, principal sanfoneiro vivo do país. Entre encontros acompanhados de muita música e reunindo depoimentos de seus principais instrumentistas, o filme faz um mapeamento cultural das diferentes regiões do país onde a sanfona se estabeleceu.
Elenco: Dominguinhos, Sivuca, Arlindo dos 8 baixos, Camarão, Genaro, Pinto do Acordeon, Joquinha Gonzaga,Dino Rocha, Elias Filho, Gabriel Levy, Toninho Ferraguti, Mario Zan, Osvaldinho do Acordeon, Renato Borghetti, Gilberto Monteiro, Luciano Maia e Quartcheto, Luis Cralos Borges, Edson Dutra dos Serranos, Bagre Fagundes, Telmo de Lima Freitas e Patativa do Assaré.
Produção executiva: Marilia Alvarez
Fotografia: Sergio Roizenblit e Rinaldo Martinucci
Montagem: Sergio Roizenblit
Som: João Godoy, René Brasil e Thiago Bittencourt
Trilha sonora: as musicas são de autoria dos instrumentistas registrados (personagens)Produtora: Miração Filmes Ltda

primeira noite

caraleo.
sem palavras...
prazer, eu sou isabela, e esse é lauro escorel, e eu nem sabia da existência dele. meu deos!

a noite de abertura foi bacana, sempre a mesma xurumela. cervejitas, salgadinhos, refris, algumas caras conhecidas, outras beeem conhecidas, e muitas nunca te vi... enfim, foi isso, flashes e tapete vermelho, mas a fotografia do São Bernardo é algo que precisa ser visto.
restauradíssimo. belíssimo.
essa aí é "o cara".



terça-feira, 18 de novembro de 2008

dada a largada!

41 Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.

Se eu conseguir comparecer todos os dias o blog ficará mais interessante e movimentado.
Hoje é noite de abertura, somente para convidados, e estarei lá firme e forte.
No sábado tem filme do André Luiz Oliveira, produzido pela Asacine, na Mostra Brasília, depois eu faço um convite bacana.
Esse ano eu não estou trabalhando na produção do Festival (snif!) mas vou lá assinar o ponto.
Agora deixa eu trabalhar...

othon bastos em cena...
SÃO BERNARDO, de Leon Hirszman, 1972.
filme de hoje, na sala villa lobos, a partir das 20:30.
aH! Leon Hirszman = eles não usam black tie... sacou?

domingo, 16 de novembro de 2008

combina com meu jeito

...a vida não tem ensaio...

"é só uma história, ninguém vai morrer por causa disso... "

e foi assim, que num final de domingo calorento, chuvoso e monótono, eu saí do cinema aos prantos e imensamente feliz.
o cinema brasileiro sempre me causa isso, fico submersa num orgulho patriota que beira à infantilidade, mas sou assim, fazer o quê?
ainda mais esse filme, esse ator, esse roteirista e essa música.
essa história de amor é mais uma de tantas histórias, mas deixou-me numa euforia, numa vontade e disposição louca de viver quantas histórias dessa forem necessárias, quantas a vida me reservar. e olha que hoje eu acho que aguento muitas.
o vento podia aproveitar o meu entusiasmo e soprar alguém na brisa da madrugada.
vai que amanhã eu acorde com os pés fincados na realidade?

o tempo e o vento e a chuva

"...vois me cê tem um olhar que ferve o sangue da gente!"

"... um homem que não sabe se apegar à terra, não serve para Santa Fé".

uma chuva forte, cheirosa e linda caindo na minha janela.
e na tela assisto "o tempo e o vento" com todos os seus vois me cê.
bom domingo.

inclusão de quem?

estava eu em casa, num domingo ensolarado e repleto de preguiça, quando decidi permanecer no aconchego do meu lar, e rascunhar algumas idéias...
escreve pra lá, escreve pra cá, as idéias foram tomando forma e passei para a parte de pesquisa de alguns sites, sonhando alto com patrocínios inesperados, enfim...
quando de repente, não mais que de repente, encontro no site da VIVO o link CULTURA...
olha só!
estava no caminho certo!
vejam que exemplo de empresa preocupada com o futuro do seu país e com o bem estar da comunidade:
Vivo Cultura - Democratizando o acesso da população à cultura e a arte brasileira.
"o espaço cultural vivo tem por missão democratizar o acesso da população a eventos de qualidade, e difundir a cultura e as artes produzidas no Brasil, incentivando a inclusão social".

vejam com seus próprios olhos:

http://www.vivo.com.br/portal/institucional_cultura.php?WT.ac=Institucional/Home.SubMenu_Superior.Cultura

e agora pasmem com a programação do Espaço Cultural Vivo:

A Cabra ou Quem é Sylvia?
Estréia: 10 de outubro, sexta-feira,às 21h30.
Temporada: até 21 de dezembro.
Local: Teatro Vivo, 290 lugares
Endereço: Av. Dr. Chucri Zaidan, 860, Morumbi
Sessões: Sextas e sábados, às 21h30.
Domingos, às 19h.Gênero: Comédia. Duração: 100 minutos. Recomendação: 16 anos.
Horário da bilheteria: de terça a quinta, das 14h às 20h.
De sexta a domingo, das 14h até o início do espetáculo.
Telefone da bilheteria: 7420-1520
Vendas por telefone: 4003-1212 http://www.ingressorapido.com.br/
Estacionamento no local: R$ 15
Aceita cartão de débito e dinheiro, não aceita cheque.

sabem de quem é a direção do espetáculo?
jô soares...
preciso dizer mais alguma coisa?
bora telefonar na bilheteria e saber quanto custa o ingresso democrático e inclusor...

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

prefiro tinto seco

ela estava cansada como em todos os fins de tarde de sexta-feira.
o dia não havia sido tão duro a ponto de deixá-la exausta, mas era sempre a mesma coisa: até que horas estaria sozinha? o que o final de semana reservava pra ela? quem encontraria ou quem nem teria notícia?
caminhou até sua casa mais devagar que o normal, queria apenas retardar a sua chegada.
mas como não poderia deixar de ser, chegou.
abriu a porta do apartamento e sentiu aquele cheiro de casa limpa.
lugar cuidadosamente arrumado, organizado.
depois de alguns minutos esparramada na cama, finalmente conseguiu reunir forças e se levantou convicta de que passaria a noite de sexta feira sozinha e nem por isso seria menos divertido.
abriu a geladeira e ainda restava mais de meia garrafa de vinho tinto, da noite anterior.
resolveu que faria uma bela macarronada, com o molho carregado no alho, passaria um tempo na internet e finalmente terminaria de ler o livro que há dias não folheava.
e assim o fez depois de uma boa e demorada chuveirada.
e no meio do seu processo solitário recebeu uma visita.
e entre um apartamento e outro terminou a noite abrindo outra garrafa de vinho, entre queridos e uma pilha de vinis, de chico a cartola, riram, conversaram e se bastaram.
adormeceu tranquila. havia se despedido com a mesma sensação de todos os outros encontros: alguma coisa havia se perdido na história, havia ficado para trás.
e o livro ficou para o dia seguinte.

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

sem mais para o momento

eu queria muito saber de onde vêem aquelas sensações que a gente acreditava estarem mortas e na verdade percebemos que estavam apenas dormindo...
enfim... divagando além do necessário depois de algumas taças de vinho em plena quinta-feira, é melhor não me alongar demais num assunto que já ficou velho, desbotado, cansado.
porque sentimos saudades daquilo que nem foi tão bom assim?

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

mais uma do pantanal

- a senhora tá me deixando sem graça mãe...
- sem graça? sem graça? mas na hora de fazer sem-vergonhice e destampar a moça ocê não ficô sem graça né!

* para ler carregando no erres no estilo mais pantaneiro possível e dormir relembrando os velhos e bons tempos em que se vazia coisa boa na tevê brasileira. ô coisa boa!

* para ler de novo e dar vários vivas a maravilhosa jussara freire e sua inesquecível e hilária dona filó.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

explode coração

vejam só vcs a ironia da vida.
eu, que tanto faço propaganda da minha cidade-adotada-natal, recebi vários telefonemas de amigos brasilienses nesses dois últimos dias, e justamente para falar da minha eterna botucatu...
virei alvo de chacota no supermercado... pois é... minha terra além de cachoeiras e sacis agora tbm tem dinamite.
e explode delegacias!
como pode?
era uma vez a pacata botucas?

noites frias de verão

essa noite será especial.
tirei meu edredon do armário.
aquele fofo, cheiroso e gigante edredon que me faz companhia nas noites de frio que eu tanto amo.
choveu o dia todo no cerrado.
e amanhã eu nem tenho que acordar cedo.
hummmm.

sábado, 8 de novembro de 2008

não cabe num opala

hoje, além de passar uma boa parte do dia no mercado central (de novo!), fomos conhecer o Usina Unibanco de Cinema e assistir "nossa vida não cabe num opala", de reinaldo pinheiro, roteiro de di moretti...
eu não sei dizer. eu saí do cinema sem grandes reflexões.
o filme não me emocionou, não me pegou de jeito, assim como a personagem de maria luiza maravilhosa mendonça ficou esperando que os rapazes fizessem com ela, que a surpreendessem, eu tbm fiquei a espera de uma bela pegada, mas não rolou...
mas eu não vou falar mal do filme de jeito nenhum pq não achei um filme ruim, só não rolou comigo... recife adorou, foram 6 prêmios.
gostei da luz, da sujeira, dos atores, todos bons demais da conta, com exceção do irmão mais novo, meio cabaço... mas acho que foi essa a intenção do diretor.
pra finalizar utilizo-me da técnica da modernidade: nada como um "ctrl+c ctrl +v", ainda mais qdo a opinião do cara é tão perfeita.
pessoas, leiam a coluna do zanin no estadão, ele sabe o que diz. e sabe o que eu digo tbm...
"...se trata de um filme contundente com seus personagens à beira da marginalidade, ou já imersos nela. Tem lá seus problemas, mas é um filme com assinatura e estilo. Isso, no tempo do fast food, já é uma grande coisa."
Luiz Zanin Oricchio

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

sem post por hora


a pessoa não dorme direito, as oito horas básicas, desde a semana passada.
na terça jurava que trabalharia até às três da tarde pra se preparar pra viagem, mas chegou em casa já era quase oito. recebeu amigos, internetou um pouco e acabou repousando lá pela meia noite...
acordou às cinco e meia da manhã e ligou o automático para conseguir realizar as tarefas mais básicas como escovar o dentes por exemplo, com certeza estava dormindo...
pegaram a estrada por volta das sete e meia e depois de quase dez horas de viagem, entre caminhões, motoristas malucos e obras na pista, finalmente chegaram ao hotel mais famigerado da história... cheirando mofo e sem tranca na porta... (não riam!)
os dois amigos que esperava encontrar aqui deram o cano por motivos de força maior, e depois de toda essa saga ainda tentou tirar forças pra postar no seu abandonado blog, para que a meia dúzia de gatos pingados e fiéis amigos não o abandonem de vez.
enfim, rolou? não... não rolou... ela posta agora, cansada de um dia calorento de trabalho numa terra desconhecida, e sai logo correndo pra tomar um banho e pensar no dia de amanhã.



ah! o IPHAN fica na Casa do Conde, fiquei encantadíssima.

o Mercado Central vai ser nosso alvo de investigações esses dias... pensem na gordinha atacando as castanhas, damascos e azeitonas...


domingo, 2 de novembro de 2008

... não mereço castigo!

essa foi a descoberta do final de semana... bora procurar o CD no submarino pq adorei a força vocal... no especial do Edu Lobo me chamou muita atenção, mas só agora resolvi vasculhar e adorei o que encontrei... curtam: thaís gulin. curitibana.

Tenho no peito tanto medo,
É cedo
Minha mocidade arde,
É tarde
Se tens bom-senso ou juízo,
Eu piso
Se a sensatez você prefere,
Me fere
Vem aplacar esta loucura,
Ou cura
Faz deste momento terno,
Eterno
Quando o destino for tristonho,
Um sonho
Quando a sorte for madrasta,
Afasta
Não, não é isto que eu sinto,
Eu minto
Acende essa loucura
Sem cura
Me arrebata com um gesto
Do resto
Não fale, amor, não argumente
Mente
Seja do peito que me dói,
Herói
Se o seu olhar você me nega
Me cega
Deixa que eu aja como louco,
Que é pouco
No mais horroroso castigo,
Te sigo

sempre bom

"Mesmo que os romances sejam falsos como o nosso
São bonitas, não importa
São bonitas as canções
Mesmo sendo errados os amantes
Seus amores serão bons".

* te dou um doce se adivinhar o(s) compositor(es)...

... pois é... foi bem bom.

sábado, 1 de novembro de 2008

ouça um bom conselho

ela estava quieta no seu quarto e inquieta no seu canto.
esperava que algo acontecesse, que o telefone tocasse, que o vento soprasse e o calor esmorecesse.
chegou em casa depois de um exaustivo dia de trabalho e não conseguia pensar em nada além de um banho. uma longa, relaxante e limpante chuveirada... de certa forma esperava que as últimas e incertas palavras que trocaram fosse embora pelo ralo.
palavras rápidas, objetivas, sem carinho "sem coberta", só não havia tapete atrás da porta, mas foram assim: sem emoção.
concentrou-se no banho, no cabelo, na espuma, no perfume do shampoo, no sabonete, na gilette. esquentou e esfriou o chuveiro por diversas vezes sentindo cada sensação de frio e calor vagarosamente, deixando que seu dia terminasse para que a noite iniciasse estrelada.
foi quando no meio de seus devaneios molhados e ensaboados ouviu ao longe o toque do celular.
lei de murphy... fosse quem fosse resolveu que não interromperia seu momento. e assim o fez.
terminou o quase interminável banho e tentou controlar a ansiedade que tomava conta novamente... não conseguiu... se enrolou na toalha correndo e leu com toda curiosidade exacerbada que uma mulher como ela possui: 1 chamada não atendida.
estavam lá... a chamada não atendida, o recado na caixa postal.
e sabem o que era?
nada. não era absolutamente nada.
era um celular perdido no bolso de alguém distante.
um bolso maldito que resolveu fazer uma chamada sem ordens do dono.
ela não poderia saber disso... e retornou a ligação imediatamente.
retornou com uma expectativa fora de propósito, mal colocada, esperando ouvir sabe-se lá o que do outro lado da linha...
e foi assim, com cara de operadora de telemarketing que tentou uma venda fora de hora, que ela desligou o telefone, decepcionadíssima consigo mesma.
decepcionada por ser tão adolescente e achar que um toque de celular poderia mudar o rumo de seu final de semana... e caiu.
caiu na cama emocionalmente exausta.
exausta de solidão, exausta de telefonemas, exausta de tanto calor... e foi pro chuveiro novamente.

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

final de semana na portinha

o final de semana está aí... na cara do gol.
depois de uma semana na maior correria, de leva e trás, de segura pra não cair, o sábado tá batendo na minha porta e gritando: vêm minha nêga!
espero descansar o suficiente, rir demasiadamente e pensar exatamente "no limite" pra não fundir a cuca véia aqui.
semana que vem continua a TV Escola e ainda tem IPHAN em Belo Horizonte que pelo o que percebi hoje vai ser sem emoção mesmo... mas temnadanão, a vida continua uma festa.

carência nível dois e meio

gente, visita aê um monte que eu tô mega carente e queria ver o número de visitantes pululando pra mil e qualquer coisa... mas não sai dos quatrocentos... hehehe.
quem não tem cão, caça com blog mesmo.

maior abandonada

pessoas partem, as coisas partem, a vida anda, o mundo gira.
nada além do óbvio.
mas fica além-óbvio quando o amigo que está partindo é seu e não do vizinho.
o pior é quando o amigo é seu, do vizinho e de todo mundo...
ela está indo... está voltando pros seus queridos, reencontrando pessoas e reconstruindo histórias.
e eu não posso desejar nada além de felicidade e sucesso pra minha irmã de niterói...
só que eu sou um tanto quanto humana e egoísta pra sentir que a minha dor por sua partida está maior do que a felicidade por ver um sonho dela realizado... como administrar tudo isso?
alguém aí tem a receita?
meus finais de semana aqui no cerrado nunca mais serão os mesmos...
e eu que me considerava a mais calejada das pessoas...
joana querida, amo vc o suficiente pra te odiar pq está me abandonando... rsrs.
sucesso querida. ainda vamos nos encontrar por toda uma eternidade.

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

santo dos automóveis

eu ouvi dizer que existem santos para qualquer tipo de situação.
estou implorando que me digam qual o santo santinho que cuida das indefesas pessoas que não possuem veículo próprio, utilizam um emprestado pelos seus patrões, e que em uma única semana o dito veículo vai parar na oficina duas vezes... digamos que seja um pouco de falta de sorte.
vamos aos fatos para que o tal santo possa ser mais eficaz.
fiat strada dos patrões.
duas semana frenéticas de gravações no set montado no pólo de cinema, em sobradinho II.
produção que é produção faz de tudo um pouco: ajuda no figurino, dá uma força pra camareira, fica à disposição do diretor, busca frutas na cozinha, entre outros afazeres, ataca de motorista tbm.
não sei dizer ao certo quantos km são de distância entre o aeroporto (final da asa sul) e sobradinho II (muito além do horizonte da asa norte), mas sei que é bem longe e fiz esse trajeto no mínimo 4x ao dia buscando e devolvendo convidados-entrevistados para o programa da TV Escola...
foi correia dentada na terça.
e mega fervura na quinta. estourou a mangueira daquele lugar onde colocamos água... hehehe.
resumo: tô quase desistindo de comprar o meu.

terça-feira, 28 de outubro de 2008

tem dias que a gente se sente...

... como quem partiu ou morreu?
não, não.
não é exatamente isso.
é um cansaço físico que vira mental-emocional ou vice-versa, não importa.
a questão é que a gente fica sem vontade das coisas, ou com muita vontade das coisas, de outras coisas. de trocar o personagem, de despir o figurino, de mudar a maquiagem. mas dá a maior preguiça. e amanhã começa tudo de novo.
e quando vc percebe está lá sozinha com seus botões e travesseiros.
ainda bem que existe um edredon pra te fazer companhia... mas aí é que mora o problema: tem feito calor demais aqui no cerrado, principalmente de madrugada... aí o edredon tem que ser colocado pra escanteio... xi... nem ele.

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

a minha cegueira

era um belo par de olhos azuis.
ou seriam verdes?
na certa eram claros.
claros e radiantes.
talvez perdidos, talvez cansados.
mas eram estonteantemente claros, reveladores.
queria conseguir manter meus olhos nesses olhos por mais de três segundos.
é quase impossível.
é desesperador.
ali vou me deixar ler.
ali vou entender.
por hora prefiro ser cega.
mas só por três segundos, nem menos, nem mais.

dá zero pra ele

hora do besteirol...
pedindo licença à comunidade do orkut "Dona Chica Admirou-se" quero saber de vcs quais as pérolas... duvido que não tenham nenhuma.
a brincadeira é simples, seguindo a mais famoasa de todas as músicas no estilo "dona chica" vc coloca aí o pedaço mais improvável da música, mas que vc jura que ouviu...
Hors-Concours estilo "dona chica":
..."na madrugada a vitrola rolando um blues, trocando de biquini sem parar"
(claudio zolli)

minhas pérolas:
..."eu tenho medo do escuro, tenho medo do inseguro, dos fantasmas da minha avó"
(vanessa da mata)
comentário: e olha que minhas avós estão vivinhas da silva.

..."você pode até dizer que 'eu tô por fora, ou então que eu tô inventando'. Mas é você que é mal passado e que não vê que o novo sempre vem".
(belchior)
comentário: eu acho o belchior bem mal passado mesmo.

..."vou deixar a rua me levar, veracidade se acender. a lua vai banhar esse lugar e eu vou lembrar você".
(ana carolina)
comentário: a verdade pode se acender sim tá? e daí? rsrs.

por enquanto eu só me lembro dessas aí mesmo, mas eu sei que tenho mais um caminhão delas.
ainda bem que hoje é sexta-feira e hoje vou dormir cedo.
e amanhã vou dormir o dia todo.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

diminuto e di minuto

o tempo esvai e se esvai.
e foi assim, de vento em vento, de brisa em brisa que a saudade do que não foi acabou se dispersando, diminuindo.
hoje restam o ar morno e o cheiro doce das infinitas possibilidades...
tudo regado a muito frio na barriga e olhos apertados de aflição e receio, que é pra dar uma apimentada na história que nem existe.
é o lance de estar sempre sozinha, esperando que a chuva venha... antes era para que ela fosse.
agora, com chuva ou sem chuva quero mais é continuar conhecendo.
conhecendo a mim e aos novos horizontes.
novos amigos, funções, dia-a-dia, rompantes, conversas, companhias, vivências... tudo novo. de novo. e de novo.
bora que a vida agora é essa.

terça-feira, 21 de outubro de 2008

produtionholic...

hoje vai ser só em consideração aos poucos, porém valiosíssimos queridos, que me visitam diarimente...
são 22:42... horário de verão sendo degustado... levantando às 6... passando o dia no pólo de cinema... produção! produção!

maquiador terminou?
posso microfonar os dois?
qual o figurino separado para os programas de hoje?
o almoço já chegou?
toalha pro ator que está suando...
já posso servir o café e as bolachas?
faz uma tabela com os quatro figurinos decididos!
shiiiiiiiii! silêncio no set!

adorooooooooooooooooo!
boa noit...zzzzz....zzzzzzzz....z..zzzz...zzzzzzz....zzzzzz.

domingo, 19 de outubro de 2008

sabe bem o que vem pela frente

esse final de semana eu tive uma overdose de futebol.
pra quem nunca acompanha muito, assistir dois jogos seguidos é praticamente uma overdose mesmo.
foi delicioso ver o meu verdão suar pra empatar com o sãopaulo (eca!), fazia tempo que eu não me divertia tanto e nem falava tanto palavrão... tudo graças ao juiz, coitado.
o almoço no paulo estava delicioso com a presença de novos amigos do predinho mais melrose de brasília, e o número só aumenta.
enfim, entre um gol e outro, teve cerveja, risadas, piadas, mensagens e um pouco de vazio.
e o domingo finda com um cansaço antecipado por ter que acordar uma hora mais cedo amanhã.
alguém aí entende a real utilidade desse horário de verão?
eu só vejo a utilidade qdo ele termina: acordar uma hora mais tarde no final das contas.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

surubão de idéias

ontem à noite rolou suruba.
suruba internética, notebookífera.
apesar de não estarmos fazendo sexo, de não termos ligado nossas câmeretas, as palavras rolaram soltas e frenéticas na tela do computador.
nenhum assunto casando com outro, nada que se aproveite e tudo que se diverte.
era fotógrafa encontrando fotógrafo, a prima querendo saber sobre o leite de texuga, os escaladores querendo comprar magna e por aí vai.
pra mim foi excelente.
e pra vcs, foi bão?
paulo chewbacca, jujuba prima, gaspar texugo, polli di castro e euzinha, teve até o léo que entrou e saiu rapidinho.
eu amei teclar com vários amigos ao mesmo tempo e fazer essa interação entre eles.
idades, estados e cabeças diferentes.
viva a diferença! e eu amo a tecnologia.

32ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo



são paulooooooo! em são paulo, eu disse são paulo!
eu não vou poder ir ainda, pelo menos por enquanto não posso... semana que vem quem sabe eu saiba quando estarei em BH e talvez possa conciliar as duas cousas, massss, por hora é só divulgar, e muito, que o filme SIMPLES MORTAIS, direção de Mauro Giuntini e produção de Marcio Curi vai fazer parte da Mostra de São Paulo.
Pra quem não sabe a produtora do filme é a ASACINE PRODUÇÕES, produtora onde essa que vos escreve recebe seu pão de cada dia... prestigiem! divulguem!

21/10/2008(Terça) - 21:20 - UNIBANCO ARTEPLEX 2
22/10/2008 (Quarta) - 16:40 - ESPAÇO UNIBANCO POMPÉIA 10
26/10/2008 (Domingo) - 17:10 - ESPAÇO UNIBANCO 3

http://blog.estadao.com.br/blog/merten/?title=simples_mortais&more=1&c=1&tb=1&pb=1

http://jc.uol.com.br/2008/04/29/not_167379.php

http://www1.caixa.gov.br/imprensa/imprensa_release.asp?codigo=6508033&tipo_noticia=0

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

SMS

receber mensagens no celular na calada da noite é o máximo.
eu adoro.
a-d-o-r-o.
repita sempre que der vontade.
tomara que dê bastante.

amém!

existem pessoas que nos fazem perder o fôlego.
dentro dessa categoria de "perder o fôlego" podemos subdividí-las em mais duas:
- perdeu-se o fôlego tamanha era a ânsia de estar por perto, ou ainda
- perdeu-se o fôlego de cansaço, de querer desistir, de ter desistido.

felizmente eu tenho construído relações que me fazem faltar o ar...
e a maioria delas estão catalogadas no primeiro ítem.

mas hoje eu senti um aperto no peito, uma dorzinha de leve.
acabei de trocar meia dúzia de palavras com alguém que a muito eu não falava, e vi que continua batendo na falta de ar sem sentido.
no ar que falta pela desistência, pela impotência, pela prepotência... pelas infindáveis e desnecessárias discussões.
graças à Deus que durou o tempo de postar esse texto, menos de dois minutos.
amém!
eu quero é ser feliz!

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

rádio nacional no fim de tarde...

"Se você jurar
Que me tem amor
Eu posso me regenerar
Mas se é
Pra fingir, mulher
A orgia assim não vou deixar"

... pois é... agora vou me animar. vou ouvir samba até o sol raiar.
(rima pobre, mas essa sou eu, quem gostar que goste assim).
ah! a composição é de nilton bastos e ismael silva.

vivendo e aprendendo

as vezes a gente apanha e nem sabe porque.
as vezes a bordoada vem de onde a gente menos espera...
e tudo o que a gente quer é ver as pessoas bem, felizes e juntas.
mas sei lá né... vai ver que eu tenho uma visão deturpada de mundo.
preciso mesmo é ficar quieta e deixar de querer me meter na vida alheia.
é isso.
hoje doeu.
e eu sinto uma raiva imensa de mim por estar chorando.
faz parte do aprendizado.

domingo, 12 de outubro de 2008

domingo guloso

era uma bela tarde de sábado.
eu estava curtindo a excelente companhia da minha amiga juanita, que fez o favor de me acordar às 10 da manhã...
estávamos felizes, de barriga cheia e degustando um café numa cafeteria aconchegante e de preço justo, coisa rara em brasília, qdo meu celular teve a ousadia de tocar.
.
.
era um quase-querido e quase-amigo pedindo socorro. havia caído o disjuntor do seu apê e a caixa de energia fica instalada na sala da produtora onde trabalho.
corre parar o café e salvar aquele que mais tarde nos encantaria com suas histórias e passaria de quase-querido e quase-amigo para amigo-bem-querido-mesmo.
.
.
mais tarde entre chopps, filet ao molho de gorgonzola e muito papo cabeça, fizemos companhia um para o outro nessa noite fria do DF: eu, juanita, paulo e a elba, claro.
.
.
e foi nisso tudo que resultou nosso final de semana que finda em uma tarde maravilhosamente ensolarada e agradável... almoçando no apê iluminado do amigo-novo, misturando pelotas com niterói e botucatu, comendo um macarrão delicioso, bebendo vinho e curtindo a vida.

segue receita do macarrão by juanita:
- um pacote de massa barilla,
- 4 tomates grandes (pode deixar a semente que não tem nada a ver esse lance de fazer mal...)
- um maço de manjericão fresco,
- um vidro pequeno/médio de azeitonas pretas (já picadas e sem caroço que ninguém merece ficar picando azeitona!)
- queijo parmesão ralado bem grosso,
- azeite, bastante azeite, daqueles bem bons... rsrs.

Depois de cozinhar a massa AL DENTE (pelo amor de deooos não deixe ficar molengo), misture todos os outros ingredientes em uma vasilha junto com o macarrão. Isso mesmo, sem ir ao fogo, e coma na temperatura ambiente mesmo.
dilícia da nossa vida!

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

...primavera quer entrar.



hoje resolvi falar sobre máscaras.
quantas cada um de nós esconde no armário, atrás da porta, embaixo do tapete...
quantas ainda estão estampadas em nossa cara e relutamos em retirá-las até na frente do espelho.
quantas verdades existem dentro de nós e quantas guardamos a sete chaves ou quantas queremos gritar aos quatro ventos.
eu ando aqui bricando, brigando ou descobrindo as minhas.
tarefa árdua, trabalhosa, que move músculos, suor, disposição... nem por isso é sofrido, pode ser doído, mas não menos divertido.
queria apenas não ter pressa... mas a pressa teima em correr atrás de mim.
uma fome louca de entendimento pessoal e alheio. impossível.
as coisas, as pessoas, tudo tem seu tempo, e isso as vezes me angustia.
quando e com quem podemos ser realmente verdadeiros?
qual é a minha verdade? sou sincera comigo?
hoje vou dormir com a máscara da dúvida.
deixe que ela me faça companhia...
quem sabe amanhã eu troque de roupa.

domingo, 5 de outubro de 2008

domingo no parque

o domingo foi saboroso.
não paramos um minuto sequer das dez às dez (quase!)...
amizades novas em folha e outras resgatadas, retomadas.
a vizinhança é poderosa por aqui, conseguiram me tirar da toca e com diversão garantida.
regada à vinho do porto e troca de confidências.
nat, vc está especialmente mais legal... vamos voltar à ativa.
cris, pessoa mais doce que vc ainda não conheci(a).
bosco, impossível ficar longe de vc agora.
ivan, alto astral faz bem pra pele, e sua amizade tbm, não vou te deixar em paz.
sabrina-tati, vc pode contar comigo mais ainda.
.
.
.
estratagema-amigo é sempre uma boa pedida. não que eu havia me esquecido disso, mas esse domingo calorento e aniversariante me fez ter certeza que agregar pessoas do bem e pro bem sempre renovam as nossas energias.
sou toda de vcs!
valeu!


DANDO NOME E CARA AOS BOIS...





isabela, a que reuniu a porra toda.



natália, que sugeriu o lugar.



ivan, o feliz aniversariante.




bosco, o pensador .



cris, a meiga.



sabrina-tati, a divertida.

sábado, 4 de outubro de 2008

saudade

fazer novos amigos é sempre bom.
ainda mais quando as conversas são bacanas, o clima é bom, as risadas espontâneas rodeadas de papos inteligentes.
esse predinho tem me surpreendido com o número de pessoas legais que apareceram.
hoje passamos algumas horas jogando conversa fora... e *bah tchê! como foi leve!
eu estava precisando de coisas leves.
também rolou faxina, mercado e telefonema no meio da tarde.
bateu saudade de ter alguém pra sentir saudade.
e o pior é que eu estou sentindo, mesmo sabendo que não deveria.
boa noite.
amanhã tem justificativa no TRE... e eu queria tanto estar na minha terra-adotada-natal...
enfim, viva a democracia. posso sentir saudade de quem eu quiser.
mudando muito de assunto? tô mesmo... é o sono.

* piada interna. rsrs.

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

bico no trombone!

É com um pouco de tristeza que escrevo esse post.
Tristeza não... Indignação...
Aliás, nada disso... Eu estou é puta da vida mesmo.
Primeiro preciso localizá-los no tempo e no espaço pra entenderem minha reclamação.
Morei três anos em Botucatu e depois de criar Sacis, trabalhar no jornal local, me apaixonar por cinema, participar da fundação do Cineclube Paratodos, ouvir o sino da Catedral, conhecer as cachoeiras, passear pela Demétria... enfim, enlouqueci e adotei a cidade como minha.
E como boa taurina e possessiva que sou a cidade é MINHA MEEEEESMO.
Mais minha que de muito Botucatuense que eu conheci...

Vim parar em Brasília por forças das circunstâncias, do dinheiro, do campo de trabalho, e ainda sonho em aprender o máximo que eu puder aqui e voltar para minha terra-adotada-natal e passar o meio, o bem no meio, o quase restinho do meio, o meio e os fins dos meus dias.
E é por isso que eu estou muito chateada por não conseguir viajar esse final de semana pra lá e votar. Dar uma votadinha... rsrs.

Adoro. Sério mesmo. Já logo no primeiro ano transferi meu título e votei e esse ano eu não vou poder fazer isso... enfim, vamos ao motivo do meu post, do meu emputecimento.
Que merda é essa de ser bombardeada por emails, convites no orkut, mensagens de MSN pra votar numa figura aí?

Independentemente de minha escolha, da minha simpatia política por fulano, beltrano ou ciclano eu deteeeeeeeeeesto coisas que te empurram goela à baixo. Horário político na TV eu assisto se eu quiser, no rádio eu ouço se eu quiser, recolho santinho se eu quiser... mas email, caixa de entrada, não tem jeito... eu abro e tá lá, na minha cara, na caruda.

Não tem como terminar esse post-desabafo sem fazer o último comentário: eu conheço e faço idéia da pessoa que está metralhando minha caixa de mensagens, e querem saber o real motivo da minha ira? Eu pedi pra me tirar dessa lista coletiva... fui simpática... disse que meu voto era do adversário (sempre foi!) mas que o motivo não era exatamente esse, e sim pq eu detesto correntes seja ela qual for, ainda mais de um candidato que não é meu?!?

Só deixo o recado final: senhor candidato que anda fazendo campanha pela internet, esse metódo não funciona... pense comigo: quem já vota no senhor vota mesmo, e quem não vota não vai se convencer de nada, só vai ficar mais puto com essas correntes... e os indecisos... bom, os indecisos vão tomar um chopp no sábado à noite... e viva a democracia!

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

pros de SP...


essa é só pros amigos de SP... a não ser que os daqui queiram fretar um avião, eu topo.

o brogue da banda divulga os shows. tem link ali do lado.

clica à vontade.

rio amarelo

as novidades mal começaram e eu já me vejo confusa com o pouco que tenho.
é uma novidade aqui, outra acolá, uma possibilidade do outro lado da rua...
e eu não sei ao certo se atravesso, se espero os carros passarem, parece que vem chuva.
mas o tempo pode virar.
isso é o que mais me intriga: eu sempre espero pela chuva, sinto as trovoadas... e ela nunca vem...
o sol aparece luminoso, forte e arrebatador.
e qdo dou por mim perdi tempo pensando na chuva.
enfim... bora pra vida!

* para ler ouvindo roberta sá...

Não sei se é certo pra você
Mas por aqui já deu pra ver
Mesmo espalhados ao redor
Meus passos seguem um rumo só.

Não deixe idéia de não ou talvez
Que talvez atrapalha
Não deixe idéia de não ou talvez
Que talvez atrapalha.

O amor é um descanso
Quando a gente quer ir lá
Não há perigo no mundo
Que te impeça de chegar.

Caminhando sem receio
Vou brincar no seu jardim
De virada desço o queixo
E rio amarelo.

- que os céus me ajudem a desencanar do receio! e sejam bem vindos os jardins!

terça-feira, 30 de setembro de 2008

coletando

hoje o cansaço tomou conta geral.
o corpo mesmo, nada de cabeça e coração.
estou me sentindo ótima, mas com uma vontade enorme de que o final de semana chegue logo.
o foda é que quando ele chega eu me sinto muito sozinha e peço pela segunda-feira... rsrs.
é mole?!?
tô sentindo falta de postar assuntos mais interessantes, de falar menos de mim e mais da vida, do filme, da crise financeira nos estados unidos, do tempo chuvoso, de amenidades ou não.
tem dia que eu apareço aqui por obrigação mesmo, só pra bater o cartão, e aí percebo que assim não vale, assim fica sem sentido, mas quando eu vejo já foi.
então... é isso.
preciso conversar com o síndico e ajudar a implantar coleta seletiva nesse prédio.
por hoje é só.

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

a gente nunca esquece

o primeiro post a gente nunca esquece...
e se for o primeiro post do seu primeiro note com a sua primeira internet 3G nem se fala !
cansada, com sono, mas firme e forte, afinal de contas é a primeira vez, e a gente dá o melhor da gente na primeira vez!
amigos, é isso... estarei por aqui noites a fio agora.
MSN, skype, blog e afins...
mas venham com calma, porque eu ainda sou café-com-leite.

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

na casa de júpiter com sol em marte

já faz algum tempo que me cadastrei nesses sites de perfil astrológico, de sinastria amorosa, do beijo do touro, como transa o ariano, qual o nome da mãe do geminiano, quem é mais ciumento entre o canceriano e o de virgem, qual o presente que devo dar ao sagitariano... enfim, pataquada total, é óbvio.
nem sei porque me cadastrei nesse negócio, o fato é que apesar de não acreditar, me cadastrei e diariamente recebo um boletim do meu trânsito astrológico.
depois de ler durante um tempo, alguns dias, confesso, percebi que não iria muito longe com isso: sempre era para eu tomar cuidado com tais e tais comportamentos, os astros não estavam a meu favor... poxa vida, quem resiste? parei de ler, claaaaaro.
e meses e meses depois, após deletar diariamente o tal boletim, ontem resolvi dar uma olhadinha antes de mandá-lo pro espaço, literalmente.
e não é que finalmente os astros resolveram gostar de mim?
analisem comigo:

"No período que vai de 24/09 (ontem) às 3h35 até 26/09 às 15h05, Isabela, o Sol estará passando pelo seu setor do prazer (uhú! do prazer!), em harmonia à Lua na Casa 3, sendo este um momento especial para tudo o que diz respeito ao lazer, às diversões, à satisfação da sua "criança interior", os movimentos, as viagens, os namoros e o sexo...
...Que tal fazer um divertido passeio com o intuito de lazer? Surpresas muito positivas podem advir se você resolver mudar um pouquinho a sua rotina: que tal ir a lugares onde você não costuma ir? É muito provável que você venha a fazer novas e importantes amizades por estes dias, se ousar sair da rotina. Sua comunicação emocional estará muito melhor por estes dias, aproveite para expressar seus sentimentos sem medo de ser feliz!"

e não foi que eu realmente saí de casa inesperadamente?
fui parar na embrapa, no show do renato teixeira.
fiz novos amigos e dormi em paz, com novos projetos cinematográficos e kombísticos na cabeça.

"...ando devagar porque já tive pressa e trago esse sorriso porque já chorei demais!".

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

uakti

..."No dia seguinte iria finalmente ouvir as músicas do filme até então mantidas em segredo pelo Marco Antonio Guimarães, o maestro. O Marco Antonio é o criador do genial grupo mineiro Uakti, banda responsável pela trilha sonora do filme. Formam o Uakti: Paulinho, Arthur, Décio e o próprio Marco Antonio, que é violoncelista, mas nesse trabalho toca chori, gig, tampanário, únicordio, marimba de vidro com arco, entre outros instrumentos".
(trecho extraído do blog de fernando meirelles sobre o filme ensaio sobre a cegueira).
http://blogdeblindness.blogspot.com/

fernandooooooooo! eu sabia que a trilha sonora do filme era do uakti.
perfeito!
nossa. amei saber disso.
gente, desculpa ser tão recorrente, mas corre pro cinema.
eu já vi duas vezes e não estranhem se rolar a terceira...
mas a vontade que deu agora foi de comprar um CD novo-velho de uma das melhores coisas que já ouvi na vida. uakti. vale mais que à pena... vale tudo!
http://www.uakti.com.br/

terça-feira, 23 de setembro de 2008

bora

"A arte de mexer
Vem desde os tempos da pedra lascada
Todo mundo mexia
Todo mundo balançava
Todo mundo sacudia
Todo mundo requebrava e cantava
Pois quando você pára de brincar, de mexer
Seu coração ao invés de bater padece"

jorge tudo de bom ben



já é a segunda manhã consecutiva que acordo com essa música na cabeça...
por que será?
é um sinal.
é o jorge pedindo para que eu retome minhas caminhadas matinais.
amanhã cedo tô lá. juro.

ontem estive cega de novo.
desta vez foi no brasília shopping na cia do uma-vez-primo-sempre-primo.

não foi ainda?
tá esperando o que?!?

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

rew ou ff

é muito ruim sentir saudade do que não foi.
lembrar até do que eu não vivi...
enfim, hoje estou sofrendo o pós-final-de-semana-massa-com-amigos-delicias.
e acho que foi isso... acumularam dois finais de semana assim.
e isso não é ótimo?
eu acho maravilhoso!
sou extremamente sortuda e feliz por viver os últimos acontecimentos.
tenho amigos, amigas, pessoas especiais na minha vida de cabo a rabo, aonde quer que eu vá.
acontece que estou aprendendo a diluir o vazio que fica quando passa.
conseguir transformar o dia-a-dia em momentos idênticos aos dos finais de semana. hahahaha.
(só eu né... ninguém mais... que puxa!)

sábado, 20 de setembro de 2008

na sexta

fiquei em casa ontem à noite.
com o samba, juanita e bárbara a minha espera e eu preferi ficar em casa.
sozinha.
sozinha não! eu, meus botões, meu edredon, a noite calorenta do cerrado e o são jorge, claro!
e nem foi ruim.
consegui pensar algumas coisas, ouvir música, escrever, assistir Pantanal (eba!) e me refazer de uma semana agitada que passei.
daqui a pouco começa tudo outra vez.

rosa

o show na quinta foi bacana.
excelentes músicos, os melhores do mundo, segunda ela.
"para tocar comigo tem que ser no mínimo virtuoso", diz rosa passos.
ok, ela é muito boa no que faz mesmo, mas humildade é sempre bom...
enfim, chorei aos montes, me emocionei mais do que eu imaginava... foi uma seleção de corta-pulsos... uma atrás da outra, não dava tempo nem de respirar ela mandava mais uma.
ou seja: a alma não ficou nem um pouquinho leve como eu imaginava, mas mesmo assim valeu à pena.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

passos largos

"Tudo um dia vai-se embora
tudo existe de passagem
mais que nunca sinto agora
que sou parte da viagem"
"Outono" - Rosa Passos/Fernando de Oliveira


hoje tô saindo de um dia agitadíssimo e caminhando prum show tranquilo de rosa passos.
sempre saio desses shows com a alma mais leve.
amanhã eu conto mais.
o grande barato é que sempre penso em alguns figuras que eu gostaria que estivessem perto nesses momentos: luis passos, johnny frateschi, bira... os músicos! grandes músicos que ficam com os olhinhos brilhando nessas horas. e eu adororavaaaa dividir isso com o vitão que tinha os mesmos siricuticos que eu. cabeção, saudade de vc! amanhã te mando um mail pra fazer invejinha, hoje eu fico com a rosa.

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

queria que entrasse...

"... quem de dentro de si não sai, vai morrer sem amar ninguém!"

eu saio de mim sempre que posso.
e quando acho que não posso também.
e é nesse vai-e-vem, nesse entra e sai, que acabo me perdendo.
quem será que vai me achar?

leveza

foi bom, ok.
foi bem bom mesmo.
fazia tempo que não era tão bom.
e daí?
eu precisava dar uma passadinha aqui pra desabafar um tiquinho.
aqui é um lugarzinho pra eu falar comigo tbm sabe?
enfim, eu vim aqui pra me dizer: foi bom, mas o que é que tem demais?
pára de pensar, dá um tempo. volte a viver a sua vidinha que já é bem boa.
e lembre-se: a insustentável leveza do ser.
até mais tarde.

terça-feira, 16 de setembro de 2008

salve jorge!

como demonstrar o tamanho exato daquilo que sentimos?
como conseguir explicar ao outro que isso as vezes não é isso e que aquilo pode ser?
enfim... expectativas meu bem, as velhas expectativas são sempre as culpadas nas histórias sem final feliz. mas essa teve.
o final de semana foi bem turbulento, diferente, acompanhado.
teve companhia o tempo todo.
teve companhia que veio de longe e que não atingindo minhas totais expectativas acabou por superando-as todas. sacou?
hahahahaha.
teve vinho, macarrão, sinuca, tesão, são jorge, parque da cidade, catedral, ermida dom bosco, cigarro, cerveja, samba, fulô do sertão, beijo na boca, violoncelo, fiat estrada, música, muita música, fotografia, jorge ben, aeroporto, raiva, risada, comédia... e depois teve vazio.
e agora tem lembrança que vai ficar um tempo ecoando.
não posso reclamar da minha vidinha não.

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

ensaiando

o final de semana merece um post.
mas um post bem contado, animado e desinfreado.
do mesmo modo como eu estava(stou) me sentindo...
ando meio perdida nas minhas angústias e desejos, mas sempre fazendo o melhor que eu posso no momento, ou pelo menos tentando.
então, por hora, esse é o melhor que eu posso.
bem curtinho, rapidinho, enquanto as idéias se recolocam, reorganizam.
eu só posso adiantar que começou na quinta.
com cegueira e tudo mais.

não tem o que dizer da cegueira... tem que ver, tem que sentir.
dá um orgulho de ser brasileira!
dá um orgulho de ver a estação da luz, o viaduto do chá...
mas fora tudo isso tem a questão arrebatadora do filme.
e tbm tem juliane moore que vai ganhar o oscar. escreve aí no teu caderninho.

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

as cáries agradecem.

sabem o verdadeiro significado da palavra liberdade?
pois é... descobri hoje pela manhã.
liberdade verdadeira é poder escovar os dentes depois de tomar o café da manhã.
tem coisa pior do que escovar os dentes assim que a gente levanta da cama?
suco de laranja ou café com gosto pós-colgate é horrível...
bem que eu tentava burlar as regras, mas filha de virginiana que sou, nunca pude fazer diferente.
moro sozinha há 5 anos e só percebi o quanto sou livre agora!
uau.
tarda mas não falha.
viva a liberdade!

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

depois da tempestade...

sabem as pequenas coisas? tipo pequenos prazeres amelie poulain?
isso! isso mesmo!

adoooro esmalte colorido.

feijão feito na hora me faz lamber os beiços.

endredon bem grande, fofo e cheiroso... hummm.
(travesseiro idem!)

cheiro de chuva é sempre bom, terra, grama molhada...

capuccino me tira do sério.

não vivo sem pelo menos 3 pares de all star.

análise é minha nova seita. só análise salva.

pinguim de geladeira tbm é uma mania, quase uma coleção.

silvio santos é o cara.

bocejar não é uma dilicia?

quero uma colcha de retalhos....

não sou tão chata assim, sou?

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

eu enlouqueço!

eu fico louca!

com tampa de privada levantada... se vc senta no azuleijo, levante a tampa depois, please!
e feche a outra tampa tbm!

com chinelo virado pra baixo!
qdo eu era criança diziam que se eu deixasse meu chinelo virado pra baixo minha mãe morreria. eu amo minha mãezinha e desviro meu chinelo sempre.

com ônibus lotado... quem é que não enlouquece com isso?

Lima Duarte em papel principal é uma coisa que me dói o cérebro, mas pior que isso só a Regina Duarte, aí sim eu fico maluquinha.

detesto toalha que não enxuga direito. se eu passar uma temporada na sua casa não me ofereça toalha nova, me dê a velhinha mesmo, muuuito melhor.

eu não como fígado, língua e moela, de resto devoro tudo!

olha, eu sei que é preciso, fica muito mais bonito, mas eu deteeesto tirar a sombrancelha.

não gosto de beijo melado no rosto. ui, que nojo.

tbm não confio naqueles que me cumprimentam com a mão mole, a famosa mão folha de alface. sai fora!

acho um horror qualquer uma dessas peças, sozinhas ou combinadas, não importa: sapato branco, roupa de couro e lantejoula. ui.

paulo maluf é uó mesmo. detesto desde sempre.

existe coisa mais irritante do que controle remoto longe de você? tbm enlouqueço com isso.

TV mal sintonisada tbm me tira o sossego, assim como legenda pequena ou na cor errada. manja aquele filme que a legenda é branca e quase todas as cenas são rodadas no alasca? pois é...

é isso.
mas existem muitas coisas que me deixam tranquila... duvida?
rsrs.

eu sou a mosca

ela precisava escrever.
escrever e muito bem.
na verdade nem muito, nem pouco, e sim escrever exatamente aquilo que o avaliador estivesse esperando.
talvez o melhor seria escrever algo acima do esperado por ele, superar expectativas era a melhor saída naquele momento.
ela não sabia nada sobre o tema, não havia lido nada em revistas ou jornais.
filha, neta e bisneta de médicos, embora tivesse se preparado para esse momento sua vida inteira, agora estava ali... inerte entre a folha de papel em branco e a caneta na mão.
e o pior: lhe restavam apenas vinte minutos... míseros vinte minutos para transcrever sobre um assunto que não a tocava nem por um segundo.
e permaneceu assim, estática e pensativa, durante algum tempo quando percebeu que seus concorrentes, diferentemente dela, deslizavam as canetas sobre o papel... um frio percorreu toda sua espinha.
o fato é que o silêncio da sala, o tema da redação e o barulho insuportável das canetas alheias raspando no papel, a deixavam cada vez mais anestesiada e nenhuma ideiazinha sequer lhe ocorria.
aquela prova era realmente uma tremenda prova.
precisava provar de verdade à si mesma e aos poucos amigos que tinha, que era capaz de superar o maior desafio de sua vida até o momento.
havia estudado muito para estar ali.
foi quando meio que sorrateiramente, meio como quem não quer nada, e é assim que eles fazem! um pequeno pernilongo, pequeno e abusado pernilongo, pousou em cima de sua caneta.
e como num passe de mágica as idéias começaram a fluir, um turbilhão delas!
o pernilongo e seu zumbido atrevido eram a salvação que faltava!
e quando a pobre pensou que todos seus problemas haviam desaparecido e finalmente escreveria a primeira palavra de tantas que surgiriam, a única caneta que tinha acabou falhando.
- Maldita caneta!

terça-feira, 2 de setembro de 2008

hermanas

hoje me bateu a maior saudade da joaninha e da marília.
e daquelas tardes bem menininha, apesar da idade, onde a gente fica falando dos meninos.
e penteia o cabelo diferente, passa rímel, muda a roupa do dia a dia, compra sapato.
essas duas são mesmo as duas irmãs que eu não tive.
ô dó de mim...
assis não é logo ali, muito menos o rio.
suas cuzudas!
eu não sou muito boa com as demonstrações de afeto, muito menos com as palavras, mas como hoje deu vontade, resolvi postar pra elas: amo vcs! presente na minha vida. presenças importantes sempre, sempre.
sucesso pra vcs, perto ou longe, hermanas sempre!

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

os decepcionados

eu já faço parte do grupo dos decepcionados.

mas poderia ser o grupo dos desavisados, acontece que eu fui mais que avisada...
como poderia eu na minha santa ingenuidade acreditar na veracidade e beleza de alguma coisa globo filmes?
poupe-me isabela. puxão de orelha já.
mas foi assim que rolou...
é tão bem produzido, a trilha sonora é tão excelente (o que não é mérito do diretor!) que eu me deixei levar pelos belos olhos, cabelos e pêlos de rodrigo santoro e é claro que me puxaram o tapete.
meia boca demais.
enfim... vai lá prestigiar o cinema nacional que é sempre bom.
a cia da polli foi ótima, as risadas tbm, o mico que ela pagou pra ganhar uma camiseta do filme (ai, ódio!)... tudo isso valeu à pena... só não deu pra gostar do filme pq o final foi de cagar.
(gente desculpa, não dava pra ser mais educadinha).


ps: a cara tava animada pq o filme ainda não havia começado... sacou?

linha de passe

o nome é fantástico.
talvez a parte mais criativa do filme seja mesmo a escolha do nome, ele me fez pensar mais que as imagens .
atriz ganhou merecidamente o prêmio em Berlim, mas sem dúvida, com a ajuda dos outros excelentes atores que interpretam seus filhos (opinião de Paulo Barbosa, que eu assino embaixo).
o olhar da cidade de são paulo afetivamente não me agrada pq amo demais a cidade pra conseguir engolir o que ela tem de pior, mas devo confessar que é altamente realista, parabéns aos diretores.
acontece que o final não vinga. não sei dizer.
o fime me preecheu o tempo todo, me deixou ansiosa por alguma coisa que não rolou qdo as luzes se acenderam. saí da sala com algum vazio que não era meu.
eu recomendo apenas a alguns amigos... vai saber.
mas é filme nacional, e a gente sempre, sempre vai estar na primeira fila.
espia os cabelos vermelhos ali na ponta:








sábado, 30 de agosto de 2008

mg2l2

sábado.
noite quente no cerrado.
são exatamente 18:54 e estamos na agência reformulando o projeto de venda do festival de macapá...
socorro. eu quero ir pra casa!
ainda tem mercado, faxina, cortina... ah! e comer! eu preciso comer alguma coisa tbm...
enfim.
está apenas começando...
talvez tenha cinema tbm. se eu não cair no sono.

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

meu irmão é filho único

“Falando de dois irmãos tão unidos como separados como Accio (Elio Germano) e Manrico (Riccardo Scamarcio), o diretor Daniele Luchetti fala do país inteiro. Coloca, em ficção, algo que é da ordem do real em um país que há pouco tempo elegeu um governante de centro-esquerda como Romano Prodi, dando-lhe maioria tão precária que ele logo caiu, sendo substituído por Silvio Berlusconi, que mais uma vez conquistou o poder na península. Tudo é precário, tudo é provisório quando se tem essa divisão 50%-50%, que oscila de um lado a outro”.
Luiz Zanin
http://blog.estadao.com.br/blog/zanin/?title=meu_irmao_e_filho_unico&more=1&c=1&tb=1&pb=1



Ok Zanin, adorei sua crítica, com sempre, mas eu queria falar só daquilo que simplesmente me arrebatou.
Além de todas essas questões políticas, que ao meu ver foram de uma delicadeza e inteligência ímpar do diretor, rolou um chororô comovente no cinema.
As luzes se acenderam e eu e Joanete fomos pegas no flagra, morrendo e nascendo de novo com Accio...
Sem contar aquele prazer inigualável de sair do cinema com uma satisfação enorme por ter assistido um filme tão gostoso.
É isso. Vão ao cinema e curtam: meu irmão é filho único.
De um jeito ou de outro ele vai te pegar. E como!

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

sossegando

passei para que as moscas não tomassem conta.
passei pra rever os amigos.
passei pra não perder o costume.
vim depressa, mas logo tô de volta.
.
.
.
sabe aquela saudade arrebatadora que eu vivia sentindo de algo que eu não sabia o que era?
pois é... ela tirou férias. sumiu. espero que não volte mais.
aquela brisa morna, misturada com cheiro de terra molhada, num entardecer ensolarado tem me dominado.
acho que é o sossego que veio de mansinho e se aconchegou chegando.

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

em construção

só pra explicar um pouco minha ausência deste espaço e dar notícias minhas, vou utilizar do bom e velho "ctrl v + ctrl c" e trazer clarice lispector pra gente...

"Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso – nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro"

sábado, 16 de agosto de 2008

inesquecível?!? que pena...

uma amiga que estava comigo disse que eu não deveria postar nada a respeito porque o assunto não merecia tanto... mas eu não aguento e preciso dividir essa angústia.

pensa numa coisa ruim.
pensa no pior filme que vc já viu em toda sua existência.
é isso aí mesmo.
não aluguem, pelo amor de deooooooos!



bom, agora já que eu postei eu preciso explicar o motivo de ter alugado um filme desse...
foi um lance altamente experimental.
a gente tinha certeza que seria ruim... o biquinho do Benício, as caras e bocas sem expressões da Guilhermina Guinle e a mala vendida do Ciocler, mas a idéia era assistir um filme ruim e conseguir observar os planos e contra-planos e todas as outras baboseiras, mas acreditem, ele é muito, mas muito pior do que vc possa prever.
o roteiro é um terror... qdo vc acha que não tem mais jeito de ficar ruim ele se supera.
enfim, melhor mesmo são as entrevistas com os atores que estão nos extras... kkkk. comédia.

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

senhor reitor

abandonado. meu querido brógue ficou meio que abandonadinho.
esses dias passaram numa velocidade fora do comum, tão velozes que nem percebi...
senti falta de estar aqui e ali fuçando nos demais, mas não deu.
cá estou de volta com meus botões.
meus botões, minhas teclas e minhas pupilas dilatadas... acabei de voltar do oftalmo... não vai ser dessa vez que vou postar decentemente, fica pra amanhã.
hoje acho que vai rolar filminho e pipoquinha em casa.
tomara que sim, vai ter história pra contar.
.
.
.
ah! teve um anônimo que surgiu aí.
senhor anônimo, queria muito comentar teu comentário, mas fiquei sem palavras... hehehe.

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

continuando...

se bem que o mar as vezes muda!
.
.
.
.
hehehehe.

domingo, 10 de agosto de 2008

domingo é sempre assim...

solidão não cura com aspirina!

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

1,99

faz tempo que eu venho observando uma nova modalidade de estratagema em minha vida.
o tanto quanto consumista, admito.
reparei ontem que simplesmente adoro, vou repetir: a. d. o. r. o. passear entre as gôndulas de um supermercado.
não tenho preferência por nenhum não, qualquer um serve.
aquele cheiro característico, aquelas pessoas que vêm e vão com pressa arrastando seus carrinhos, seus filhos, seus mantimentos... não é o máximo?
todas as famílias do mundo ali, discutindo entre latas de ervilha, milho e seleta qual será o jantar daquela noite.
casais de namorados no corredor de queijos e vinhos, o cara tentando desmosntrar seus conhecimentos vinículos: vamos de merlot ou cabert?
mães apressadas na sessão de hortifrutigranjeiros (adoro essa palavra tbm!) pensando nos legumes mais fresquinhos pra papinha do neném.
e eu ali entre ávidos consumidores e estressados funcionários empurrando meu carrinho bem devagar, passeando por entre os biscoitos, os chocolates e os leites desnatados, suspirando em pensando: hoje vou levar uma bandeijinha de damascos!

* para ler assistindo 1,99 de marcelo masagão... hehehe.

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

teste de audiência

tem teste de audiência amanhã!
gente, já postei nos anteriores, mas pra algum novo visitante deste famigerado brógue o que rola é o seguinte: uma produção asacine produções, videografia, teatro da caixa e data unb.

a galera recebe um questionário e debate sobre o filme, o cartaz e o trailler. na maioria das vezes o diretor está presente e agradece aos que ficam até o final e opinam sobre sua obra de arte, é com esses dados que ele se joga no mercado pra lançar o filme comercialmente.
bora lá que é bem bacana.
viva o cinema nacional!


pan-cinema permanente, de carlos nader

Baiano de Jequié, filho de um sírio muçulmano e uma sertaneja baiana, Waly Salomão (1943-2003) era um artista que se manifestava em múltiplas direções. Formado em Direito, tornou-se poeta, rabiscando os versos de seu primeiro livro numa cela no Carandiru. Amigo de Hélio Oiticica, aproximou-se dos tropicalistas, tornando-se um dos compositores preferidos de Caetano Veloso, Gal Costa e Maria Bethânia, para quem compôs sucessos como "Mel" e "Talismã". Reunindo extenso material inédito filmado com Salomão, que procurava romper a fronteira entre realidade e ficção, o filme revela algumas das facetas desse incansável caleidoscópio.


08/ago - 19:30

teatro da caixa
SBS Quadra 4, lote 3/4, ed. anexo à matriz da Caixa
fone: 3206-9450


estação melodia

"o estácio acalma o sentido dos erros que eu faço..."


não tenho um estácio, preciso de algum outro bode expiatório.

alguém sugere?


estação melodia
ontem, no teatro nacional.

... e foi melodia demais prum corpo que estava quase de menos. alimentou a alma como poucos conseguiram fazer. oito músicos afinados, entre compassos e descompassos, na maior harmonia do planeta.

isso é que é entender a plenitude de ser brasileira!


terça-feira, 5 de agosto de 2008

repassando a teoria

gente, aprendi uma coisa nesses meses brincando de ser blogueira...
ler os blogs alheios é um puta estratagema bacana e extremamente funcional.
passo horas e horas lendo textos de pessoas que nunca vi mais gordas ou magras e fico imaginando o jeitão de cada uma delas.
hoje vou destacar uma frase óootema que li no blog vida perra (com licença gasta!).

"Trabalho me cansa, mas preguiça me mata. Já as segundas garoentas me fodem".

excelente.


adoro blogs alheios.
hoje rolou a preguicite.
amanhã tem mais.

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

apenas começando

essa semana vai ser tudo de bom na vida da gente!
estratagemas pra dar e vender, vai anotando:
- na quarta tem Poesia no Jardim da Filosofia no CCBB com Viviane Mosé e Elisa Lucinda.
- na quinta tem Luiz Melodia no Teatro Nacional.
- na sexta tem Teste de Audiência, um doc sobre Waly Salomão.

poooooutz! tudebom, né não?

domingo, 3 de agosto de 2008

as famigeradas listas

li esses dias no blog da Re (que nem conheço, mas tomo a liberdade de chamá-la assim) uma lista enorme de coisas que ela detesta.
e aí fiquei morrendo de vontade de fazer a minha própria lista, mas optei em fazer uma lista de coisas que eu adoro e não de coisas que eu não gosto... e foi aí que começou o meu grande dilema.
é bem mais fácil fazer uma lista de coisas chatas do que coisas legais!
foi aí que resolvi mudar totalmente o foco e fazer uma lista de palavras estranhas.
eu sempre quis ter uma lista de palavras estranhas.
sabe aquelas palavras que são gostosas de se pronunciar, que exigem muito da sua língua ou bochecha, que o som fica comédia ou que ninguém sabe direito o que significa?
pois é... a brincadeira vais er mais ou menos assim: vou montar uma lista de palavras bacanas e vcs podem contribuir.
vou até abrir um post-fixo ali do lado... assim a gente vai só aumentando a lista.
e pensem apenas na palavra e não em seu significado.
combinado!
até aí estava tudo muito bom qdo resolvi procurar no dicionário o que quer dizer a palavra "famigerada" e sabem o que rolou? no existe! eu não encontrei nenhum significado pra esta palavra! pois bem! famigerada é a nossa primeira palavra!