quinta-feira, 21 de agosto de 2008

sossegando

passei para que as moscas não tomassem conta.
passei pra rever os amigos.
passei pra não perder o costume.
vim depressa, mas logo tô de volta.
.
.
.
sabe aquela saudade arrebatadora que eu vivia sentindo de algo que eu não sabia o que era?
pois é... ela tirou férias. sumiu. espero que não volte mais.
aquela brisa morna, misturada com cheiro de terra molhada, num entardecer ensolarado tem me dominado.
acho que é o sossego que veio de mansinho e se aconchegou chegando.

8 comentários:

Elena sem H disse...

Essa saudade em alemão tem até nome: Fernweh. Não conheço nenhum outro idioma que tenha um termo para isso. Sei bem como é sentir isso... Que bom que você "se achou".

Juliana disse...

uebaaaaaaa!
até quem em fim... sossego...

ora bolas... não me amole (...)o que eu quero é sossego!!!

saudade de tu, tatu... tantas do coração pra te contar...

Anônimo disse...

Gostei muito de ter visitado seu blog.
Muito bacana. Cheio de ideias, pensamentos interessantes.
Voltarei mais vezes.
Um bj e continue escrevendo coisas bacanas.

Johnny Frateschi

vitor disse...

tentei escrever no orkut, mas não consegui...
vai por aqui:

:o)
gracias!

p! disse...

eu falei que a hora ia chegar.
=}

isaBela araújo silvA disse...

elena! tava com saudades dos seus comentários... acho que tô indo no dia 12/09, vamos nos falando.

jujuba, qdo vamos marcar nosso big-almoço (sacou? hehehe) assim a gente bota as conversas em dia.

johnny! visita ilustre! adorei sua passagem por aqui. venha sempre. tô querendo dar um chego em SP no dia 12 de setembro, e aí te ver tocar estão nos meus planos, claro!

vitão, venha me visitar cara...

p! essa papo tá super mãe: eu te disse, eu te avisei... sai fora! kkkkkk. sumiste.

Sara disse... disse...

Come um sanduiche de pernil com queijo e se imagina sentada no balcão da lanchonete Estadão ás 03:30 da manhã, naquelas madrugadas insolitas onde no mesmo balcão estão você, um lixeiro, um pedreiro com os braços todos sujos de massa de reboco da parede, um estilista, umas travestis, uns investigadores do Deic e umas 30 bichas perdidas...
Pronto, acabou a saudade...
Bjão - sampa sempre te espera.

isaBela araújo silvA disse...

Ô sara! esse foi pra matar o meu coraçãozinho não foi não?
saudades de vc querida, vamos marcar logo essa ida ao Estadão na madruga? demorou muuuuito. da próxima vez vc não escapa, não vai ter desculpa não.