sábado, 1 de novembro de 2008

ouça um bom conselho

ela estava quieta no seu quarto e inquieta no seu canto.
esperava que algo acontecesse, que o telefone tocasse, que o vento soprasse e o calor esmorecesse.
chegou em casa depois de um exaustivo dia de trabalho e não conseguia pensar em nada além de um banho. uma longa, relaxante e limpante chuveirada... de certa forma esperava que as últimas e incertas palavras que trocaram fosse embora pelo ralo.
palavras rápidas, objetivas, sem carinho "sem coberta", só não havia tapete atrás da porta, mas foram assim: sem emoção.
concentrou-se no banho, no cabelo, na espuma, no perfume do shampoo, no sabonete, na gilette. esquentou e esfriou o chuveiro por diversas vezes sentindo cada sensação de frio e calor vagarosamente, deixando que seu dia terminasse para que a noite iniciasse estrelada.
foi quando no meio de seus devaneios molhados e ensaboados ouviu ao longe o toque do celular.
lei de murphy... fosse quem fosse resolveu que não interromperia seu momento. e assim o fez.
terminou o quase interminável banho e tentou controlar a ansiedade que tomava conta novamente... não conseguiu... se enrolou na toalha correndo e leu com toda curiosidade exacerbada que uma mulher como ela possui: 1 chamada não atendida.
estavam lá... a chamada não atendida, o recado na caixa postal.
e sabem o que era?
nada. não era absolutamente nada.
era um celular perdido no bolso de alguém distante.
um bolso maldito que resolveu fazer uma chamada sem ordens do dono.
ela não poderia saber disso... e retornou a ligação imediatamente.
retornou com uma expectativa fora de propósito, mal colocada, esperando ouvir sabe-se lá o que do outro lado da linha...
e foi assim, com cara de operadora de telemarketing que tentou uma venda fora de hora, que ela desligou o telefone, decepcionadíssima consigo mesma.
decepcionada por ser tão adolescente e achar que um toque de celular poderia mudar o rumo de seu final de semana... e caiu.
caiu na cama emocionalmente exausta.
exausta de solidão, exausta de telefonemas, exausta de tanto calor... e foi pro chuveiro novamente.

2 comentários:

ANNA disse...

E quando apita que chegou torpedo e é só a cia. telefonica informando uma nova promoção? rrrrrrr

isaBela araújo silvA disse...

anna,
kkkkk. eu quero simplesmente morrer qdo isso rola comigo. ansiedade mata, tenho certeza disso.