sábado, 3 de janeiro de 2009

meu mundinho

imaginem um quarto pequeno demais para duas pessoas.
imaginem um mundo inteiro pequeno demais dentro de uma delas.
imaginem uma vontade enorme de gritar, sair correndo, de se descabelar, de entender o que não tem explicação aparente.
como pode um ser humano tão pequeno, de mais ou menos um metro e sessenta e três, cabelos avermelhados, quase alaranjados, ter tanta coisa complexa, maluca e pouco legível dentro de si?
capaz de viajar por kilômetros atrás de algo que nem sabe...
capaz de reviver histórias ruins em busca de um mínimo que talvez nunca encontre.
capaz de estar eufórico e seguro de suas atitudes e pensamentos em uma manhã ensolarada, e chorar copiosamente debaixo do chuveiro no mesmo dia de um entardecer chuvoso...
chorar pra dentro em cima de um teclado enquanto posta num blog quase abandonado nesse início de ano promissor.
e foi assim... sentada na beirada de uma cama de gato, numa casa distante da sua que um dia já lhe pertenceu de certo modo, que o pequeno ser humano se viu mais uma vez perdido entre sentimentos, angústias e loucuras.
completamente abandonado.
abandonado e triste.
triste mas com uma vontade enorme de lutar.
com uma disposição gigante de revirar, de crescer, de explodir, de nascer de novo, e aquilo estava prester a acontecer.
libertar-se.
feliz 2009.

4 comentários:

joanaregattieri disse...

minha querida, eu li o texto da martha medeiros no último dia do ano, bem quando saiu... minha mãe já me acordou falando pra ler, minha amiga mariana me mandou um sms na mesma hora "leia o texto da martha medeiros!!", aí eu respondi: "acabei de ler, sem medo de perder!! uhuhuhuhuuhuh!!!", e ela me respondeu "não entendi que é sobre perda, mas sim sobre escolha: ganhar"

acho que tive um fim de ano excelente. cheio de reflexão, com direito a dúvidas, conversas até 5h da manhã, surpresas, decepções, irritações, choros profundos, fortalecimentos, gargalhadas de doer a barriga, pânico de paralisar, amizade... amor, amor e amor... e a consciência de que para alcançar a tão sonhada paz e felicidade é mesmo preciso chafurdar o pé na lama, enfrentar cobras e lagartos, e perceber o ciclo das coisas, o ciclo da vida-morte-vida... encarar a morte como renovação. deixar a roda-viva rodar, fluir, crescer, renascer...

para 2009, o que desejo é a coisa mais clichê e hippie desse mundo, mas que nunca valorizei tanto:

PAZ E AMOR!!!

beijos meu bem... esse é seu ano, pegue-o nas mãos como uma flor bonita.

joanaregattieri disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
. Juliana . disse...

eu já te disse que te amo?!

p! disse...

o grande ser que não tem como mensurar a própria grandeza terá o melhor ano da sua vida, se depender de torcida.
turbilhão de sentimentos só pode ser uma coisa, querida amiga. Vida! intensa e sentida. Eu creio que o que tiver de vir você enfrentará e no percurso desse caminho será realizada.
bjo
p!